PJV - Praça de Corupá

Praça de Corupá

Ficha Técnica

Projeto: Praça Central
Local: Corupá – SC
Área total: 3.500 m2
Arquitetura: Pablo José Vailatti
Colaboração: Annelise Vieira e Karina Pereira
Desenvolvimento das imagens: Geane Carvalho

 

A área destinada a praça, a ponta de uma quadra, é formada por um retângulo maior de 84m x 34m, e outro pequeno de 20m x 25m, com acesso pela porção central do retângulo maior.
O programa solicitado incluiu: – palco para eventos comemorativos, ponto de táxi, mesas de jogos, espaços de estar, bancos, quiosque de alimentação, play-ground e academia para terceira idade, além de banheiros e muitas árvores.
Com o intuito de afirmar o caráter contemporâneo do projeto, trabalhamos com diferentes materiais como o aço, o concreto aparente, a madeira, o tijolo, o vidro e o bloco de cimento para pavimentação. Outro elemento marcante é a água utilizada na lâmina de espelho da água.
O projeto busca devolver a este espaço seu caráter público, de encontro e convívio social, característica essencial de toda e qualquer praça.
Primeiramente estudamos a implantação da praça, analisando o programa que foi solicitado e o espaço disponível que tínhamos. Queria uma composição moderna, buscamos uma composição que se equilibrasse através do contraponto entre seus elementos. A implantação das pequenas construções, do seu mobiliário contemporâneo e seus grandes espaços vazios, além de elementos ordenadores como a lâmina da água, o palco e o quiosque somados a muita vegetação era o que tínhamos para organizar.
Foi pensando nesta nova composição, moderna, não simétrica, que surgiu um dos elementos organizadores deste espaço. Um espelho da água foi implantando em uma das esquinas e, ao longo de seus 30 metros de comprimento foram dispostos palmeiras e pontos de luz direcionados, demarcando esta composição além de criar um excelente cenário durante a noite.
Acima do espelho da água, teremos um espaço vazio com bancos e árvores até chegarmos ao quiosque da praça, protegido do sol por uma cobertura metálica e por uma sequência de árvores em sua frente.
As principais características deste projeto são o seu caráter urbano, sua função como espaço público. A praça está aí para isto, desempenhar sua função social. Dentro da lógica intrínseca do projeto, podemos citar o trabalho com diversos materiais, aço, concreto, madeira, tijolo, cimento e vidro.
Uma característica curiosa deste projeto foi a utilização de letras em tamanho grande dispersas pela praça. As letras, C, O, R, U, P e Á, foram dispostas isoladamente em alguns pontos da praça. Além de se referir ao nome da cidade, as letras têm o propósito de serem elementos urbanos, que serão apropriados pelas crianças e usuários em geral. As letras podem ser comparadas a esculturas que foram distribuídas pela praça.
Temos também uma praça seca, formada por árvores secas que será um espaço mais aberto, localizado em frente ao palco para servir como espaço para platéia em caso de apresentação de shows.
A praça é um espaço público, onde não há dono, o lugar é de todos e para todos.
A praça é o local onde acontecem as relações sociais de uma comunidade e o seu desenvolvimento. A praça sempre se caracterizou como centro, como ponto de convergência da população, onde ocorrem eventos festivos, manifestações políticas, ou atividades ligadas ao lazer, jogos, gastronomia, exercícios físicos e ócio. A praça é o principal espaço de desenvolvimento da vida urbana ao ar livre, é o espaço mais importante da cidade para o convívio social do dia-a-dia. São nelas que acontecem as trocas sociais entre a população, função primordial de toda e qualquer cidade.
A praça contemporânea não tem uma função específica; sua finalidade é a de se constituir um lugar atrativo para encontros, reuniões e diversão. Sua função é tentar transmitir uma sensação agradável, de espaço aberto, acolhedor, monumental e doméstico, fluído e setorizado, mas sempre um lugar do povo, um lugar das pessoas. São as pessoas que devem se apropriar da praça. A praça deve permitir isto. Para isto precisamos de espaços livres, contínuos, que permitam a você andar, correr, brincar com seu filho, jogar xadrez com seu avô, tomar uma cerveja gelada, bater um papo, ler um jornal ou comer com a família. Os espaços públicos e, principalmente as praças de nossas cidades são responsáveis pelo convívio entre as pessoas e buscam assim melhorar a qualidade de vida de toda a população.
Através de uma arquitetura contemporânea, busca-se trazer novamente a esta praça suas características de espaço gerador da cultura, de um espaço responsável pelas trocas sociais da cidade, palco de eventos políticos e de entretenimento. Este projeto tem o propósito que fomentar a vida em sociedade, através de espaços urbanos qualitativos, seguros e que gerem felicidade. Penso que esta é a maior função deste lugar, como espaço público, gerar felicidade para a população através dos espaços que tem a oferecer. Deve valorizar a cidade, e servir de palco para seus acontecimentos. Deve fazer as pessoas mais felizes.