PJV - Casa D

Casa D

Ficha Técnica

 

Obra: Casa D
Local: Praia Alegre – Penha, Santa Catarina, Brasil
Área construída: 258 m2
Área do terreno: 390,75 m2
Início do projeto: Janeiro/2013
Final da obra: Novembro/2014
Projeto estrutural: Eng. Silvio Garcia
Projeto elétrico e hidráulico: Eng. Carolina Contin
Estagiáriaos: Joana Bittencourt, Nathã Dalmutt

 

A casa D está localizada na Praia Alegre, cidade de Penha, em Santa Catarina. A encomenda chegou até o escritório a partir da vontade dos proprietários de construírem sua casa de praia. Apesar da metragem pequena da casa, um total de 258 metros quadrados , a família necessitava de 7 dormitórios, dentre estes um deveria ser suíte e outro deveria estar localizado no piso térreo. Os outros 5 e a suíte estão localizados no pavimento superior, onde são servidos por 3 sacadas em balanço.

Além de um dos dormitórios, o pavimento térreo abriga o setor social, dividido em dois ambientes e os ambientes de serviço e apoio.

A casa organiza-se funcional e formalmente a partir da solução de sua própria estrutura. A estrutura em concreto armado foi escolhida, em função do conhecimento dos construtores locais e pelo seu custo atrativo.

A estrutura é formada por vigas e pilares de 0,3m x 0,6m. As vigas possuem 0,6m de altura, e ambos os pavimentos quando vistos de fora possuem a medida de 2,70 m de altura.

Esta estrutura é ressaltada em relação aos fechamentos em 15 cm, o que além de destacar o desenho da estrutura portante, também protege os fechamentos em alvenaria, ora na cor branca, ora em tijolo maciço aparente, ora em vidro temperado. Os painéis de vidro, vão de viga a viga e também possuem a altura de 2,70 metros. A laje teto do pavimento térreo, assim como as lajes das sacadas foram deixadas em concreto aparente. Acima desta estrutura em concreto, um volume curvo em tijolo aparente contém máquinas e caixas da água.

Na fachada oeste da casa, duas placas em concreto, com 2,70 metros de altura servem como brises e protegem algumas aberturas da incidência direta do sol.

No encontro entre o pilar de concreto aparente e a alvenaria branca foi utilizado um perfil de alumínio preto, com profundidade de 1,5cm, com o intuito de independência entre os materiais, entre a estrutura e o fechamento.

As descidas das águas pluviais são externas e foram executadas como chaminés em alumínio na cor preta, resultando formalmente em tubos pretos, com a altura exata da casa.

A forma é definida pela adoção de uma linguagem e de uma estrutura universal, abstrata, reconhecível por todos. Os pilares e vigas em concreto aparente definem a estrutura desta “caixa vazada” enquanto os fechamentos são planos de diversos materiais e texturas.